A culpa de Lucas


Após voltar do hospital tudo que Lucas desejava era se recuperar do acidente de carro que tinha sofrido e curti um ótimo final de semana com sua noiva Laura, uma mulher linda que Lucas com orgulho dizia para seus amigos: - Não tenho duvidas que essa mulher seja a única coisa na qual eu acertei na vida.
Eles estavam mais apaixonados do que qualquer outro casal que conheciam, a vida deles parecia um conto de fadas que acontecia nos periféricos daquela grande cidade, mas após o acidente algo fez com que essa linda historia tivesse um trágico final. Lucas liga para seu irmão Peter, que chegou rapidamente para entender o que tinha acontecido.


Lucas
- Peter me perdoa, mas eu a matei.
Peter
- Lucas fica calmo, o que está acontecendo?
Lucas
- Não sei por onde começar Peter, eu a matei, eu a amava e a matei, não queria, mas ela estava falando àquelas coisas que eu não gosto, que talvez estivéssemos nos precipitando e casar poderia ser um erro.
Peter
- Lucas, você tem noção do que está me dizendo?
Lucas
- Tenho, mas eu precisava assumir esse crime para tirar essa culpa do peito?
Peter
- Sei quanto isso é difícil pra você, mas não se sinta culpado.
Lucas
- Como não Peter? Não tem como se safar de um crime deste tem sangue pela casa inteira e minha consciência vai me penalizar pelo resto da vida.
Peter
- Sangue pela casa Lucas?
Lucas
- Não só na casa, mas em mim, esse sangue todo é dela, o corpo está na cozinha pode entrar e conferir.
Peter
- Lucas não tem sangue nenhum em você, do que está falando?
Lucas
- Você não está vendo?
Peter
- Eu não vejo sangue nenhum, Laura morreu Lucas, mas foi no acidente de carro, sei que era você quem estava dirigindo e que discutiram por conta de alguma coisa, mas não se culpe por isso.
Lucas
- Como assim?
Peter
- Tenta se lembra, depois do acidente ela não voltou para casa.
Lucas
- Não pode ser, passamos esse ultimo fim de semanas juntos ela estava aqui comigo e estávamos bem, até que começamos a brigar e falar aquelas coisas...

Lucas para de falar ao olhar para suas mãos e perceber que estavam limpas, sem sangue nenhum.

Peter
- Lucas foi um enterro lindo, você deveria ter ido pra se despedir, sei o quanto a amava e não tenho ideia do que passou neste últimos dias dentro desta casa sozinho com tantas lembranças, isso pode ser um trauma pós-acidente.

Lucas tem um flash de todas as coisas que ele fez com sua esposa durante esses dias após o acidente e teve um choque ao pensar que tudo aquilo não passou de uma ilusão ficando completamente paralisado.

Peter
- Você não está nada bem, vamos pra casa da mãe Lucas.


Ao colocar seu irmão no carro, Peter vê no reflexo do retrovisor uma mulher na janela da casa, ele se vira rápido para saber quem era, mas se depara com uma janela vazia, isso foi o suficiente para não achar que seu irmão estivesse tão louco quanto ele imaginava.

Por: Mudo


Veja também:
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário