Veja também

quinta-feira, 9 de março de 2017

SEM FACE

RESUMO:

Depoimento de um jovem que tem uma surpresa enquanto aguarda, no ponto, a chegada de seu ônibus.


SEM FACE


UM CONTO
DE
MUDO 
&
LADY

Isso é tão clichê, mas insisto a vocês que essa verdade que conto é verdade. Há duas semanas atrás, estava eu, parado, no ponto de ônibus, em uma noite chuvosa, voltando para casa depois de um dia cansativo, cheio de horas extras, quando o ônibus da última pessoa que aguardava o coletivo comigo chegou. Era um senhor de idade, e me pergunto, sempre que me recordo, o que um homem tão velho fazia em um ponto de ônibus no centro da cidade em um horário daqueles. O senhor mal conseguia subir os degraus da porta do veículo, então um jovem rapaz que estava sentado na frente se levantou e o ajudou a subir,sentando-o em um dos bancos.

Eu estava sozinho, a chuva não era forte, mas conseguiu me deixar molhado... "Esses guarda-chuvas não servem pra nada, apenas aparam algumas gotas que poderiam cair por nossa cabeça, mas o resto do corpo, esse sempre acaba todo molhado". Foi enquanto eu reclamava em pensamento que uma garota sentou no banco do ponto de ônibus.  Eu senti um frio passando pelo meu pescoço, que fez com que todos os pelos do meu corpo se arrepiassem. Não me atrevi a olhar para o lado, mas meu olhar periférico me fez perceber que ela usava um vestido bege. Comecei a escutar um choro que acredito que fosse dela, e novamente senti um arrepio por todo o corpo. Sentia muito medo de olhar, mas algo me dizia que deveria perguntar o motivo de seu choro.

Eu não sabia porque meu coração estava disparado, e apesar de querer perguntar porque ela chorava tanto, o medo não me deixava nem olhar para ela... seu choro era triste, já vira algumas garotas chorarem assim, com tanta tristeza em cada suspiro... uma delas foi minha mãe quando meu pai veio a falecer. "Sem dúvidas minha mãe chorava desta forma..."

Um som de buzina me fez perceber que o ônibus que eu pego estava parado na minha frente com a porta aberta. Apesar de nunca lembrar o seu nome, o motorista já me conhecia, por causa das muitas viagens que faço nesta linha desde que comecei a trabalhar. Ele me perguntou se eu estava bem, eu apenas disse que sim e subi no ônibus, embora continuasse parado nos degraus enquanto ele fechava a porta. O frio e o medo passaram, a garota parou de chorar e eu disse para o motorista:

- Estou bem, só estava preocupado com aquela moça... - Então parei de falar ao me virar e olhar pra garota no ponto. Fiquei paralisado: a jovem não tinha face! Seu rosto era penas pele! O ônibus se movia e ela me acompanha com a cabeça, talvez me observando... Mas como poderia estar me observando se ela não tinha olhos? Voltei a mim, quando o motorista disse:

- Que garota? Só tinha você no ponto. Tem certeza de que tinha uma garota lá?

Nunca mais peguei ônibus naquele ponto. Ando vinte minutos no sentido oposto à linha para ir pro terminal. Não acredito em fantasmas, mas sei exatamente o que vi, e não quero, nunca mais, voltar a ver.


Por: mudo e Lady

Nenhum comentário:

Postar um comentário